Curiosidades

Cuckold: Você sabe o que significa isso?

Alessandra Amaral
Escrito por Alessandra Amaral em 02/03/2018
Cuckold: Você sabe o que significa isso?

Cuckold? O que será isso?

Saiba que Corno, cuckold e variações de menage masculino são os itens mais pesquisados em redes sociais e sites de busca.

Aos desavisados, vamos explicar tudo sobre este fetiche que, apesar de parecer absurdo, desperta interesse em muita gente.

QUAL É A ORIGEM DO TERMO CUCKOLD?

Cuckold vem do inglês cuckoo e por incrível que parece se origina da palavra cuco, aquele passarinho sacana que adora deixar seus ovos em outros ninhos para que os filhotes sejam cuidados por outrem.

O termo em inglês foi adaptado para o nosso vulgarmente conhecido termo “corno”. Assim, uma pessoa “cuckold” é aquela que gosta de imaginar, de saber ou de ver, o próprio companheiro tendo prazer com outra pessoa (ou pessoas).

COMO É ESTE FETICHE?

Geralmente o fetiche do Cuckold envolve um casal e um terceiro elemento.

Ou seja, casais que procuram um outro homem para ter relações sexuais com a mulher enquanto o marido assiste.

No caso do homem ele sente tesão em ver sua esposa sendo penetrada por outro homem ou por vários. Na maioria dos casos por homens viris, bem dotados e em alguns casos por negros bem dotados.

QUAIS SÃO AS PRÁTICAS ADOTADAS?

E dentro da prática do Cuckol existem diversas variações possíveis, entre as quais podemos citar:

Primeiramente aqueles que curtem ver a esposa sendo penetrada por outro homem. Depois tem os que gostam de ver sua parceira sendo penetrada para depois penetrá-la e aqueles que curtem ver e fazer sexo oral enquanto ela é penetrada.

Há casos de maridos que curtem serem humilhados pela esposa e pelo amante (predominantemente verbais) e também aqueles que curtem serem penetrados pelo amante, embora isso não seja uma regra fixa.

Da mesma forma, há casais que curtem o fetiche de Cuckold com outros casais e não com um solteiro. Outra variação fica por conta dos homens que não têm o menor contato físico, preferem apenas ficar sabendo. A parceira tem relação com outro homem, mas ele não está presente no ato.

Na prática, é mais ou menos assim que funciona esse fetiche:

  • A parceira sai para encontrar um amante e, ao chegar, conta os detalhes.
  • A mulher volta para casa com um acompanhante, enquanto o parceiro fica no quarto ao lado escutando toda a ação.
  • A mulher sai para encontrar o outro cara e grava o ato, para ser exibido para o parceiro ao chegar em casa.
  • O bom e velho voyeurismo em que o parceiro fica só observando a relação entre a parceira e o amante.
  • O parceiro participa da transa, alternando momentos de atividade e de voyeurismo.

POR QUE ELES TEM PRAZER EM SER CUCKOLD?

A dinâmica da traição e o fato de ser algo proibido é o gatilho mental de quem aprecia a prática de Cuckold.

Ainda que consensual, o interesse do marido é o de ver a sua esposa satisfazendo os seus desejos com outro homem.

Enquanto isso, sob o ponto de vista feminino, incluímos a satisfação da mulher em compartilhar (visualmente ou contando a ele) a respeito do ato.

ONDE REALIZAR ESTE FETICHE?

Para estes que preferem ver seu parceiro com outra pessoa e não sabem como realizar este fetiche, casas de swing são ambientes ideais. Esta é uma prática bem comum, onde vemos um marido (cuckold) disponibilizando sua esposa para outro homem, e o mesmo só fica apenas observando ou se masturbando.

Em suma, nestes ambientes coletivos, os mais experientes chegam a deixar a esposa ficar com vários homens ao mesmo tempo, e na maioria das vezes apenas observando ou coordenando a fila de homens prontos a penetrar sua parceira.

Se você curte este tipo de fetiche, experimente frequentar uma casa de swing, onde terá inúmeras possibilidades e parceiros que curtem. O ambiente ajuda muito devido a discrição e o sigilo que existe nestes locais.

Também há sites especializados na interação entre casais e a terceira pessoa, como é o caso do Sexlog. É como se fosse uma rede social onde as pessoas entram em contato uma com as outras para marcar encontros sexuais e realizar todo tipo de fetiche.

DICAS IMPORTANTES

Se pra você não é fácil se imaginar numa situação dessas, desencana que o cuckold não é pra você. Para isso, é essencial ter uma relação com muita maturidade emocional, sinceridade e cumplicidade.

Está a fim de testar? Então conversem, tirem todas as dúvidas sobre o assunto, estabeleçam regras e vão com calma. É essencial ter consentimento das duas partes e não fazer somente para agradar o outro. Jamais considerem essa fantasia apenas para “sair da rotina” se a relação não está bem em outros aspectos. Cuckold é uma brincadeira séria!

Oi,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *