Saúde

Falando sobre Mamografia

Alessandra Amaral
Escrito por Alessandra Amaral em 04/10/2015
Falando sobre Mamografia

Outubro é o mês mundialmente conhecido como “Outubro Rosa”, pois é dedicado a campanha de prevenção ao câncer de mama.

Este é o tipo de câncer que mais mata as mulheres no Brasil, e isto acontece devido ao diagnóstico ser dado quando a doença já está num estado avançado.

Mas como isso tudo surgiu? Preste atenção agora que vamos explicar tudo para você:

O QUE É OUTUBRO ROSA?

Outubro Rosa é uma campanha mundial realizada anualmente no mês de outubro, que busca a conscientização das mulheres a respeito da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

Esta campanha é simbolizada pelo laço cor-de-rosa e informações sobre importância da saúde da mulher e visa atendimento, assistência médica e suporte emocional, garantindo prevenção, diagnóstico e tratamento de qualidade.

Durante o mês de outubro, diversas instituições — tanto públicas quanto privadas — disponibilizam exames gratuitos ou com preço reduzido, a fim de encorajar as mulheres a realizar esses exames e tratar qualquer problema encontrado precocemente, visto que, nos estágios iniciais, o câncer de mama é assintomático e responde muito melhor aos tratamentos.

QUAL É A HISTÓRIA DO OUTUBRO ROSA?

No fim do século XX alguns estados americanos já faziam ações isoladas se referindo à doença. Aos poucos estas iniciativas foram tomando visibilidade até o Congresso Americano oficializar o mês de Outubro como o Mês Nacional de Prevenção ao Câncer de Mama.

Em 1982, o instituto Susan G. Komen Breast Cancer Foundation foi fundado por Nancy Brinker com o objetivo de promover estudos sobre o câncer de mama. Para dar maior importância ao projeto e arrecadar fundos, em 1983 o Instituto promoveu a primeira “Caminhada pela Vida”, em Dallas. O evento contou com cerca de 800 participantes e marcou o início de uma ação que ganharia dimensões mundiais.

COMO SURGIU NO BRASIL?

Em 2002 surgiu os primeiros indícios da campanha no Brasil. O Mausoléu do Soldado Constitucionalista, também conhecido como Obelisco do Ibirapuera, localizado em São Paulo, ficou iluminado de rosa durante o mês.

Essa iniciativa partiu de um grupo de mulheres que queriam trazer o movimento para o Brasil e se uniram a uma empresa europeia de cosméticos.

Na terceira semana de maio de 2008, em comemoração ao dia das mães, foi iluminada de rosa a Fortaleza da Barra, em São Paulo, para lembrar às mulheres sobre a prevenção do câncer de mama.

Em outubro do mesmo ano, diversos locais tiveram os seus monumentos coloridos por uma luz rosa. Foi o caso, por exemplo, do símbolo mais conhecido do Rio de Janeiro: a estátua do Cristo Redentor.

COMO SURGIU  A IDEIA DO LAÇO?

História Outubro RosaOs laços conscientizadores começaram a ser usados nos Estados Unidos, por volta dos anos 70, por Lenney Laingen. Seu marido era mantido como refém no Irã e laços amarelos foram pendurados por ela e amigos em algumas árvores. Seu objetivo era que o marido voltasse para casa.

Nos anos 90 os ativistas da luta contra a AIDS se inspiraram em histórias anteriores e passaram a usar o laço como um símbolo de alerta contra a doença. O laço que representa a AIDS tornou-se vermelho por essa ser a cor da paixão.

Durante o Tony Awards, o ator Jeremy Irons foi fotografado com um brilhante laço vermelho no peito. Durante a noite, à medida que o público seguia os prêmios, o laço foi se tornando um ícone popular e a ideia popularizou.

COMO SURGIU O LAÇO COR DE ROSA?

Durante a Corrida pela Cura de Nova York de 1991, foram distribuídos laços cor-de-rosa para todos os participantes, mas não se tornou símbolo naquela época.

Na verdade foi a empresa de cosméticos Estée Lauder Cosmetics que foi responsável por popularizar o laço cor-de-rosa mundialmente.

No início, a cor do laço era laranja, feitos por uma senhora chamada Charlotte Hayley. Ela vendia os laços com um cartão que dizia “5% do orçamento anual do Instituto Nacional do Câncer era destinado à prevenção”. Seu objetivo era convencer as pessoas de que isso tinha que mudar, causando pressão no governo.

Tudo isso chamou a atenção de Alexandra Penney, editora chefe da revista “Self” na época, e Evelyn Lauder, vice-presidente da empresa cosmética Estée Lauder Cosmetics, que quiseram investir na ideia.

No entanto, Hayley se negou a vincular seus laços às imagens comerciais das duas empresárias, fazendo com que as negociações não fossem muito frutíferas. Então as duas resolveram lançar a campanha dos lacinhos mesmo assim, apenas mudando a cor para rosa.

Distribuído nos Estados Unidos por diversas companhias, o laço rosa ficou conhecido como o símbolo mundial da luta contra o câncer de mama.

Em 1997, a organização Pink Ribbon International tomou o símbolo para si. Trata-se de uma organização não governamental sem fins lucrativos cujo enfoque é a luta contra o câncer de mama. Essa organização está presente em mais de 15 países ao redor do mundo. A partir desta época o símbolo do laço se reforçou. A fim de sensibilizar a população, as cidades eram enfeitadas com os laços em locais públicos e durante eventos.

O QUE É O CÂNCER DE MAMA?

Todo câncer se caracteriza por um crescimento rápido e desordenado de células, que adquirem a capacidade de se multiplicar. Essas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores malignos que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve na mama como consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente.

cancer 4

Podemos contribuir para prevenção desta doença é necessário fazer o autoexame da mama. Você sabe como fazer?

COMO FAZER O AUTOEXAME DA MAMA

É necessário seguir três passos principais que incluem fazer observação em frente ao espelho, apalpar a mama de pé e repetir a palpação deitada. Para se fazer a observação deve-se ficar retirar toda a roupa e observar seguindo o seguinte esquema:

cancer 2
Autoexame da Mama

Durante a observação é importante avaliar o tamanho, forma e cor das mamas, assim como inchaços, abaixamentos, saliências ou rugosidades. O autoexame da mama deve ser feito uma vez por mês, todos os meses, 3 a 5 dias após o aparecimento da menstruação ou em uma data fixa nas mulheres que já não têm menstruação.

Todas as mulheres após os 20 anos, com caso de câncer na família, ou com mais de 40 anos, sem caso de câncer na família, devem realizar o auto exame da mama para prevenir e diagnosticar precocemente o câncer de mama.

Caso seja possível sentir alterações que não estavam presentes no exame anterior é recomendado consultar o ginecologista para fazer exame diagnóstico (mamografia) e identificar o problema.

O QUE É MAMOGRAFIA?

A mamografia é um exame radiológico para avaliação das mamas, feita com um aparelho de raio-X chamado mamógrafo. Pode identificar lesões benignas e cânceres, que geralmente se apresentam como nódulos ou calcificações. Este exame é usado para detecção precoce do câncer de mama antes mesmo de ser identificado clinicamente por meio da palpação.

INDICAÇÕES DA MAMOGRAFIA

A principal indicação da mamografia é para o rastreamento do câncer de mama. Nesse caso, a mamografia deve começar a ser feita a partir dos 40 anos, anualmente, para mulheres da população geral. Porém, para aquelas que possuem casos de câncer de mama na família, em parentes de primeiro grau (mãe, irmã e/ou filha), o risco de câncer de mama pode ser maior que o da população geral.

Nestes casos, a mamografia pode começar a ser feita 10 anos antes do caso mais precoce entre as parentes que tiveram a doença. Por exemplo: se uma mulher descobriu um câncer de mama aos 40 anos, sua filha deve começar a fazer mamografias anualmente aos 30 anos.

A mamografia, porém, não é recomendada antes dos 25 anos porque a mama é mais susceptível à radiação nessa faixa etária. Mesmo mulheres que tiveram casos familiares muito cedo (aos 30 anos, por exemplo), devem esperar até os 25 para fazer a primeira mamografia. Antes disso, a indicação nesses casos são ultrassonografias.

A mamografia também é indicada para fins de diagnóstico, como na avaliação de alguma queixa clínica (dor, presença de nódulo palpável ou alterações na aparência da mama).

Para quem vai fazer o exame, preste atenção nestas dicas abaixo:

CUIDADOS NO DIA DA MAMOGRAFIA

É comum no momento do exame as mulheres se queixarem de algum desconforto, que muitas vezes pode ser contornado com algumas dicas:

Evite agendar logo antes ou depois da menstruação
A mamografia deverá ser realizada preferencialmente durante a segunda e terceira semanas do ciclo menstrual – nesse período há menor densidade do tecido glandular das mamas, tornando o exame mais detalhado e com menor desconforto. Além disso, no período da menstruação ou nas semanas próximas, as mamas costumam estar mais sensíveis, devido às alterações hormonais  e o exame se torna mais desconfortável.

Vista duas peças de roupa separadas
Normalmente as mulheres devem tirar toda a parte superior da vestimenta. Então, o melhor é evitar peças únicas, como vestidos, ou roupas muito difíceis de retirar, contornando desconfortos dessa natureza. O ideal é usar uma camisa abotoada no dia do exame, pois esta pode ser facilmente retirada e vestida.

Posicione-se de forma confortável
Permita que a técnica te posicione corretamente, deixando o corpo relaxado e avise caso esteja se sentindo desconfortável. Lembrando que o posicionamento correto da mama é muito importante para obter-se um exame de boa qualidade e que cada imagem é adquirida rapidamente e, portanto você ficará nesta posição por apenas alguns segundos para o exame.

Notifique o médico sobre suas limitações
Deve ser comunicada qualquer limitação da paciente, como rigidez muscular, dificuldade para levantar os braços e outros problemas que poderão dificultar a posição correta no aparelho. Uma vez que o posicionamento e conforto da paciente são fundamentais para o sucesso do exame, qualquer restrição deve ser comunicada.

Caso tenha mamografia ou outro exame de mama realizados anteriormente, leve os resultados. Às vezes, devido à apresentação muito sutil de um câncer, o único modo de se detectar uma alteração é a comparação dos exames anteriores, no qual se analisa o aparecimento ou modificação de um achado já presente

Não use desodorantes ou outros cosméticos na região da mama e axila, pois eles podem afetar os resultados.

COMO É FEITO O EXAME DA MAMOGRAFIA?

A mamografia é feita por um profissional em radiodiagnóstico. As imagens de raios-X são interpretadas por um médico radiologista, oncologista ou mastologista.

Você precisará retirar a roupa da cintura para cima e colocar um avental apropriado, além de ter que remover qualquer acessório que possa se sobrepor à mama e interferir na imagem radiográfica. Para fazer o exame, você ficará em pé e fará pelo menos duas imagens de uma mama, sendo uma de cada vez. A mama será comprimida firmemente entre duas placas planas a fim de espalhar o tecido mamário e reduzir a dose de radiação necessária para obtenção de uma imagem adequada. Todo o tecido mamário e a axila devem ser incluídos na análise.

A compressão causada pela mamografia pode causar certo desconforto à mulher, mas não deve machucá-la.

mamografia
Exame de Mamografia Fonte de Imagem: cttmaxwell.com.br

Mulheres que têm implantes mamários farão um maior número de incidências mamográficas, geralmente quatro em cada mama (ao invés de duas como na paciente sem implante). Duas delas devem incluir o tecido mamário e o implante, mas saiba que a mama será comprimida gentilmente para não causar danos. As outras incidências servem para analisar melhor o tecido mamário. Nestas, o implante será descolado em direção ao tórax, de forma a pegar o máximo de tecido mamário somente para ser comprimido.

A mamografia pode ser desconfortável no momento do exame, mas raramente a dor persistirá. Dessa forma, você poderá prosseguir o seu dia normalmente após o exame.

PERIODICIDADE

Para pacientes assintomáticos, da população geral, o Colégio Brasileiro de Radiologia recomenda que se inicie a partir dos 40 anos e depois anualmente.

Pessoas com risco aumentado para câncer de mama poderão iniciar antes dessa idade, sendo que, nestes casos, devem seguir a orientação médica apropriada.

Pacientes que apresentam alguma alteração caracterizada pelos achados de imagem como provavelmente benignas fazem um controle a cada seis meses no primeiro ano e depois anual por dois anos, caso não haja alteração.

Grávida pode fazer mamografia caso haja indicação clínica. O câncer de mama também poderá aparecer durante a gravidez. Neste caso, é utilizado um protetor de chumbo no abdômen para proteger o feto.

Fique atenta a qualquer alteração em seu corpo. Cuide de sua alimentação, algumas mudanças nos hábitos alimentares podem ajudar a reduzir as chances de desenvolver a doença. Alie a alimentação com a prática regular de exercícios físicos e claro, faça sempre o autoexame, percebendo qualquer mudança procure um médico. A detecção precoce aumenta a chance de cura do câncer. Projeta a sua vida!

Então, amiga… O que está esperando para fazer logo o seu exame? Outro detalhe: este texto é muito mais importante do que qualquer dica de sexo que contenha aqui neste Blog, por isso compartilhe esta informação com todas as pessoas que puder. Prevenir é o melhor remédio sempre! E muitas vezes uma informação pode salvar uma vida!

Referências

Márcia Mayumi Aracava, radiologista do Grupo de Mama do Fleury Medicina e Saúde
Vilmar Marques, presidente do departamento de oncoplástica da Sociedade Brasileira de Mastologia
Lorena Amaral, radiologista do laboratório Pasteur

O texto original se encontra no link abaixo para que você possa obter maiores informações:

http://www.minhavida.com.br/saude/tudo-sobre/16864-mamografia-exame-detecta-o-cancer-de-mama

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *